A alma do servo…

Quando lemos alguns versos dos salmos de Davi, sentimos que sua alma chora em muitos momentos, seu espírito se mostra abatido e solitário.
Ainda que pareça impossível, muitas vezes um servo de Deus, mesmo estando envolvido em um contexto onde há muitas pessoas ao seu redor, como uma grande comunidade eclesiástica, ele vive momentos em que seu espírito se abate e se refugia em um vale sombrio, como que se estivesse envolvido em uma manta de solidão.

“A ti, ó SENHOR, clamei; eu disse: Tu és o meu refúgio, e a minha porção na terra dos viventes. Atende ao meu clamor; porque estou muito abatido. Livra-me dos meus perseguidores; porque são mais fortes do que eu. Tira a minha alma da prisão, para que louve o teu nome; os justos me rodearão, pois me fizeste bem”.Salmo 142:5-7

O peso da responsabilidade, o desejo de ver cumprido o propósito de Deus, a tristeza por ver que nem todos estão dispostos a buscar um compromisso sério com Deus, o fato de ser um constante modelo de fé e testemunho, todo esse peso de responsabilidade muitas vezes faz do servo um solitário em meio a multidão.

Em meio aos momentos de solidão, Davi buscou refúgio no Senhor Deus, aquele que sabia as intenções do seu coração. O coração do servo é um coração que anseia pela presença de Deus, anseia pela vitória da fé.

Por conhecer as intenções do coração, Deus usa de misericórdia para com seu servo, ele ouve o seu clamor, ele se compadece e alivia sua dor, através do Espírito Santo, Deus faz com que o solitário se sinta em família. Deus cumpre suas promessas na vida do seu servo.

“Clamei de todo o meu coração; escuta-me, SENHOR, e guardarei os teus estatutos. A ti te invoquei; salva-me, e guardarei os teus testemunhos. Antecipei o cair da noite, e clamei; esperei na tua palavra. Os meus olhos anteciparam as vigílias da noite, para meditar na tua palavra. Ouve a minha voz, segundo a tua benignidade; vivifica-me, ó SENHOR, segundo o teu juízo”. Salmo 119:145-149

Em meio ao sofre da sua alma, o salmista se refugiava na presença de Deus, ele renovava suas forças nas promessas do seu Senhor.

“Chegue a ti o meu clamor, ó SENHOR; dá-me entendimento conforme a tua palavra. Chegue a minha súplica perante a tua face; livra-me segundo a tua promessa”. Salmo 119: 169,170

O servo do Senhor não pode deixar de reconhecer sua fragilidade, suas emoções e sentimentos, deve reconhecer quando sua alma está abatida, deve buscar reconhecer os motivos de seu abatimento, e mesmo abatido, deve buscar ao Senhor confiante nas promessas eternas de Deus.

Assim como o salmista, devemos perguntar:

“Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei pela salvação da sua face”. Salmo 42:5

Amém!


About this entry